Apostolado de Madonna House
(Casa de Nossa Senhora)

Madonna House é uma comunidade de mulheres e homens (leigos e sacerdotes). Somos uma família de celibatários consagrados na Igreja Católica.

Madonna House - Nossa Senhora de CombermereQuem somos nós?

Madonna House, fundada por Catarina de Hueck Doherty, é um Apostolado Leigo, uma comunidade pioneira entre as “novas comunidades eclesiais”, como as denominava o Papa João Paulo II. Somos uma família da Igreja Católica, formada de homens (leigos e sacerdotes) e mulheres (leigas). A casa mãe está localizada na pequena cidade de Combermere no Canadá.

Atualmente temos dezoito missões espalhadas em sete países. (Tivemos a alegria de ter uma casa no Brasil por 17 anos; a missão, que ficava na cidade de Natal - RN, foi desativada em 2005).  Onde quer que estejamos, cada casa serve conforme o desejo do bispo e as necessidades do local. Em algumas missões, os membros de MH servem os moradores de rua, oferecendo amizade e hospitalidade, além de providenciar roupa e comida. Outras missões são casas de oração e escuta para mitigar um dos maiores flagelos dos nossos tempos modernos: a solidão. Outras casas oferecem ainda catequese para crianças, formação espiritual ou retiros, cada missão tendo o seu caráter único. Vivemos nosso chamado através dos nossos votos de pobreza, castidade e obediência.

O Povo do Lava-Pés

Em todas as nossas casas, o chamado mais importante é o de formar uma comunidade de amor e oferecer a todos os que nos procuram, a hospitalidade do coração, com a simplicidade de Nazaré, onde Deus age de maneira profunda e escondida no coração de cada pessoa. Proclamamos a santidade do cotidiano inerente a toda vida humana, abraçando a vontade de Deus conforme ela se apresenta a cada instante – reconhecendo que é no momento presente que O encontramos.

Servimos a Deus no próximo através de nosso trabalho, oração e hospitalidade e assim nos assemelhamos a Cristo, que lavou os pés de seus discípulos. Desejamos ser, como nossa fundadora nos chamou, O Povo do Lava-Pés. Procuramos anunciar o Evangelho através de nossas ações, de forma que nossa própria vida seja a voz de Cristo; assim, a vivência do dia a dia se torna nosso meio principal de anunciar a Boa Nova.

O pequeno mandato

O Pequeno Mandato forma o coração, o centro e o fundamento da vida de Madonna House. São palavras que Catarina ouviu no seu coração, por vários anos, enquanto Deus a chamava para ser fundadora do Apostolado. Muitos anos depois, ela juntou as palavras e apresentou-as à comunidade, da seguinte forma, como a essência de nossa vocação.

Levante-se, vá! Venda tudo o que você possui... Dê tudo aos pobres, diretamente, pessoalmente. Tome a minha cruz (a cruz deles) e siga-me, indo aos pobres — sendo pobre, sendo um com eles — um Comigo.

Pequeno, seja sempre pequeno... Simples, pobre, como criança.

Pregue o Evangelho com sua vida SEM RESTRIÇÕES; Ouça o Espírito, Ele guiará você.

Faça as pequenas coisas extremamente bem, por amor a Mim.

Ame, ame, ame sem contar o custo.

Vá às praças e permaneça Comigo.

Reze, jejue... Reze sempre, jejue.

Seja escondido, seja uma luz aos pés do seu próximo. Vá sem temor ao fundo dos corações dos homens... Eu estarei com você.

Reze sempre, EU SEREI O SEU DESCANSO.

Catarina Doherty e a origem de Madonna House

Caterina DohertyCatarina de Hueck Doherty nasceu na Rússia, aos 15 de agosto de 1896, na festa da Assunção. De família rica e de tradição Ortodoxa Russa, Catarina foi batizada segundo a fé de seus pais e recebeu por meio deles uma profunda formação nas tradições Cristãs do Oriente. O trabalho de seu pai, homem de negócios e também ligado à diplomacia russa, exigiu que sua família morasse em diversos países durante a  infância de Catarina. Assim, ela conheceu vários povos e culturas, e durante uma boa parte desses anos, estudava em escolas Católicas. Mais tarde, depois de ter saído da Rússia, já adulta, ela formalmente aceitou e abraçou a fé Católica.

Aos quinze anos, ainda na Rússia, Catarina casou-se com o Barão Boris de Hueck. Logo eles foram enviados às devastadoras batalhas da Primeira Guerra Mundial – ela como enfermeira e ele como engenheiro. Depois, quando eclodiu a revolução comunista, eles por pouco escaparam da morte e foram forçados a fugir de sua amada Rússia. Refugiados, pobres e doentes, Catarina e o marido foram para Europa e daí, para o Canadá, onde eles começaram a construir uma nova vida, com o filho recém-nascido. Seguiram-se, para ela, longos anos de labuta, trabalho duro e de serviços em fábricas, lanchonetes e lavanderias. Por fim ela conseguiu uma vida mais confortável em diversos aspectos.

Mas nem tudo estava bem no seu casamento. Depois de muitos anos de angústia e dificuldades, inclusive de infidelidades por parte de seu marido, Catarina percebeu que seu casamento estava em ruínas, apesar de suas muitas tentativas para salvá-lo. Eles separaram-se definitivamente e posteriormente a Igreja declarou a nulidade do casamento.

Esgotada e abatida, Catarina se perguntava porque Deus a salvou da morte na Rússia. A essa altura, ela já era executiva com uma agência de conferências e tinha uma vida de  conforto material. Mas as palavras de Cristo: “Vende tudo que possuis... dá tudo aos pobres...” já estavam ecoando no seu coração constantemente. Aos poucos ela foi vendo que Deus a estava chamando daquela vida confortável para uma outra vida – a de uma pobreza voluntária, de serviço e sofrimento em prol de Cristo e da Igreja, deixando tudo para entregar-se a Deus. Ela começou a trabalhar com os menos favorecidos, estabelecendo comunidades chamadas de Casas de Amizade que serviram aos pobres em cidades grandes do Canadá e dos Estados Unidos.

A primeira Casa foi fundada em Toronto, onde ela, junto com voluntários, providenciou abrigo, comida, roupa e outras ajudas às famílias que estavam passando necessidades durante a Grande Depressão Mundial. Além disso, Catarina promoveu o estudo das Encíclicas sociais da Igreja Católica, especialmente a Rerum Novarum, do Papa Leão XIII.

Pope John Paul II, Caterina DohertyTudo isso foi muito fora do modelo cultural e eclesial daquela época, especialmente para uma mulher, e assim  ela foi rotulada de comunista, fato não raro para um russo exilado naquela época. Ela acabou sendo rejeitada e literalmente expulsa do seu trabalho, tanto pelo povo, como pelos religiosos e pelo clero. 

Começando novamente no EUA – desta vez trabalhando na linha de justiça inter-racial – ela novamente enfrentou crítica, mal-entendidos, perseguição e até mesmo riscos físicos por pregar o Evangelho e o amor de Deus por todos os seres humanos. Ela desafiou especialmente os organismos da Igreja, as escolas e universidades, os bispos, freiras e padres.

—Falaram-lhe: “Mas, Baronesa, é preciso mudar vagarosamente”. “Ainda não chegou o tempo para mudanças tão radicais.”

—Ela replicou-lhes: "Eu nunca vi em parte alguma das Escrituras Cristo dizer para esperarmos vinte anos antes de viver o Evangelho".

Uma segunda vez a sua obra não obteve êxito quando dentro da comunidade surgiu uma séria discordância sobre os métodos e a direção do apostolado. Catarina decidiu deixar o trabalho para outros e em 1947 mudou-se para Combermere, um vilarejo do interior no leste do Canadá juntamente com o seu segundo marido, Eduardo Doherty.

Ali, o seu exemplo de viver o Evangelho de forma radical, mais uma vez atraiu muitas pessoas em busca de uma autêntica maneira de viver sua fé. Logo nasceu neste mesmo local a comunidade de Madonna House, uma família eclesial que hoje conta com mais de 200 membros – leigos, leigas, e sacerdotes – com missões em várias partes do mundo.

Catarina faleceu no dia 14 de dezembro de 1985, aos oitenta e nove anos. O processo de sua beatificação foi iniciado cinco anos mais tarde e atualmente a Igreja a chama de ‘Serva de Deus’.

Mais informação sobre a nossa fundadora Catarina Doherty e sua causa de canonisação pode ser encontrada em Inglês.

PoustiniaPoustinia, o que é?

“Há tão pouco silêncio de coração no mundo. Há tanto barulho nas almas, mentes e corações dos homens que a voz de Deus não mais pode ser ouvida.” — Catarina Doherty

Diante da explosão do ativismo no mundo moderno, Catarina percebeu a necessidade profunda para o cristão procurar o Deus do silêncio. Inspirando-se na tradição russa de se afastar para um lugar deserto e lá encontrar Cristo na solidão e oração, Catarina sugeriu o Poustinia como resposta.

No seu livro Deserto Vivo: Poustinia,  ela explica que Poustinia é uma palavra russa que quer dizer deserto. É um local de profundo silêncio, onde nos aquietamos para escutar a voz de Deus que nos fala ao coração. É o encontro com o Deus Uno e Trino que habita dentro de cada um de nós.

Em todas as missões recebemos pessoas para uma experiência de deserto. Oferecemos um ambiente simples: um pequeno quarto com uma mesa, uma cadeira e uma cama; uma simples cruz de madeira que está pregada na parede e ao lado, um ícone de Nossa Senhora. Há na mesa uma bíblia, pois a bíblia é o único livro que se deve ler no Poustinia. Qualquer pessoa que se sente chamada pode vir para passar 24 horas ou menos em oração e jejum leve.

“Tenho que viajar 'para dentro', não para fora e encontrar o Deus Uno e Trino no meu próprio coração que é, realmente, sua morada, como disse Cristo: 'Faremos nele nossa morada'. Fundamentalmente, o poustinia está mais dentro do que fora de nós.” — do livro Deserto Vivo: Poustinia

Ao falar que “o poustinia está mais dentro do que fora de nós”, ela se referia ao poustinia do coração, isto é, o deserto interiorizado. É um lugar silencioso no coração onde estamos em comunhão com Deus, no meio do corriqueiro dia. É a contemplação acessível a todo cristão em qualquer estado de vida, no meio de qualquer ocupação.

Nossa Senhora de CombermereNossa Senhora de Combermere

Veneramos a Mãe de Deus com o título de Nossa Senhora de Combermere, a mãe de braços abertos para acolher os seus filhos. Sua história começou de forma simples, pois Nossa Senhora é encontrada na rotina de nossos dias. Nossa fundadora, Catarina, começou a invocá-La sob o nome de Nossa Senhora de Combermere, conversando com ela freqüentemente, de jeito natural, pedindo sua ajuda e proteção.

Num verão, uma senhora veio e imediatamente apaixonou-se por Nossa Senhora de Combermere; perguntou se nós tínhamos pensado em como Nossa Senhora de Combermere deveria ser. Decidimos que se tivéssemos de desenhar uma imagem de Nossa Senhora de Combermere, nós a desenharíamos com os braços abertos em um gesto de boas-vindas e benção.

Alguns meses depois, nós recebemos uma carta da senhora dizendo que ela tinha recebido um grande favor ao fazer a novena para Nossa Senhora de Combermere. Em gratidão a ela, a senhora queria dar-nos uma estátua, de tamanho natural, preferivelmente em bronze, para ser colocada do lado de fora em Madonna House, constituindo assim um oratório para Nossa Senhora de Combermere. Ela iria mendigar para conseguir o dinheiro e construir tal estátua.

Nós sabíamos que não se pode ter um oratório público para Nossa Senhora sob um título não aprovado por Roma. Então escrevemos para nosso bispo, explicando a situação. Grande foi nossa admiração e deleite quando, em menos de dois meses, nós recebemos uma carta dele nos informando que a Sagrada Congregação dos Ritos deu permissão para erigir a estátua de Maria sob o título de Nossa Senhora de Combermere e para abençoá-la; também deu permissão para imprimir medalhas em honra dela.

Então tínhamos que encontrar um escultor para fazê-la e dar a ele ou a ela uma idéia do que nós queríamos. Decidimos procurar em revistas católicas a imagem que impressionaria a todos nós como a verdadeira estátua de Nossa Senhora de Combermere e achamos numa revista um retrato mostrando Nossa Senhora correndo, com braços largamente abertos para abraçar alguém, com um fundo de árvores muito similar ao nosso. Ela parecia encaixar direitinho.

A escultora era uma artista famosa, Sra. Frances Rich, da Califórnia. Para nossa admiração e alegria, ela graciosamente renunciou a qualquer pagamento. A estátua chegou de Florença, Itália, a  Combermere em 1960 e foi erigida próxima do rio Madawaska, que corre ao lado de Madonna House.

No dia 8 de junho (que tornou-se o dia no qual celebramos a festa de Nossa Senhora de Combermere) nosso bispo veio e oficialmente instalou e benzeu a estátua. O momento foi descrito por Eddie Doherty em nosso jornal, Restoration, como segue:

O mais novo oratório da Cristandade – o mais humilde e menos pretencioso – foi bento em 8 de junho. Combermere é uma vila situada no cruzamento de estradas, perdida na vastidão desta província canadense, uma cidade ignorada pela maioria dos cartógrafos. Mas talvez Nossa Senhora ame os lugares humildes como Fátima e Lourdes e outros oratórios. Não foi um milagre que produziu este oratório. Não houve nenhuma ocorrência espetacular de qualquer tipo. Foi apenas a vinda de uma linda estátua e talvez o amor das pessoas ao redor e em Madonna House que levou este lugar a se tornar um lugar de devoção e peregrinação.

Quando o bispo terminou a benção, ele ficou de pé, em frente da estátua, dentro de seus braços largamente abertos e sob a sua face terna e amorosa. Ele falou da sua primeira visita a Madonna House, em 15 de Agosto de 1945, festa da Assunção de Nossa Senhora, dia do anúncio do fim da segunda guerra mundial – dia também em que foi concebida a idéia do apostolado em que se tornou Madonna House.

“Eu dei aprovação,” ele disse, “para esta casa ser a casa-mãe deste apostolado leigo. Ninguém previu o que o futuro traria, e eu não imaginava que em tão poucos anos tão grandes coisas seriam realizadas aqui.

“Esta tarde, nesta parte muito abençoada da diocese, nesta parte tão linda do mundo, eu sei que, à medida que os anos passam, grandes graças irão fluir para toda a diocese, para todo Canadá e EUA e para todo o mundo através de Nossa Senhora de Combermere e do grande trabalho para o qual estas pessoas dedicaram suas vidas. Graças de Nossa Senhora de Combermere irão fluir em abundância e nós todos seremos beneficiados por este centro de apostolado leigo – todos nós – os da diocese e os de fora da diocese.”

A história de Nossa Senhora de Combermere está ainda se desenvolvendo, pois estupendas graças e respostas milagrosas às preces que são elevadas a ela acontecem cada vez mais.

As portas principais de todas as nossas casas estão pintadas de azul, em honra à Nossa Senhora. Acreditamos que todos que passam através dessas portas ficam cobertos pelo manto azul de Maria que derrama muitas bênçãos sobre cada um. Como a casa é de Nossa Senhora, cada visitante é o convidado particular dela. Ela não deixa ninguém sair sem uma graça especial de sua ternura e paz.

Programa para hóspedes

PhotoAs pessoas que desejam passar uns dias em Madonna House e partilhar nossa vida de Nazaré podem escrever para nós em Combermere. Esses visitantes estão convidados a participar plenamente de nossa vida comunitária, no trabalho, orações, recreio e refeições em comum, pois para nós, o trabalho, como todo o nosso dia a dia, expressa a vontade de Deus para cada um. Dormimos em dormitórios (alojamentos). Essa experiência está aberta a pessoas de qualquer estado de vida: casados, religiosos, jovens, adultos; a finalidade da convivência não é vocacional.

Em todas as casas de Madonna House nós vivemos de doações que chegam de toda parte. Partilhamos as doações com pessoas que necessitam. Nós pedimos porque somos apaixonados por um Mendigo que é Jesus e assim nós nos identificamos com os pobres, que são Cristo presente no mundo.

Reverenciando a presença viva de Jesus Cristo em cada sacerdote

Our Lady of the WoodsDentre os vários dons espirituais de Catarina, destacava-se um profundo entendimento da realidade do sacerdócio. Desde sua infância, ela ofereceu sua vida pelos padres. Através de sua imensa fé e amor a Deus, ela via em cada padre a presença viva de Jesus Cristo. Esta presença ela reverenciou e nunca deixou de proclamar, apesar de suas fragilidades humanas, que ela também sabia reconhecer. Em tudo que Catarina escreveu e falou sobre o sacerdócio, um tema se repete – a identidade que um sacerdote recebe através de sua ordenação: ele perpetua a encarnação de Cristo. No sacerdote, Jesus continua aqui conosco, jamais nos abandonando, nos oferecendo o Pão da vida, Seu Corpo e Sangue, a Palavra da verdade, a Água viva, Sua misericórdia.

Na sede de Madonna House em Combermere, Ontário, Canadá, temos uma casa para hospedagem de padres visitantes que desejem participar da vida da comunidade e receber repouso e encorajamento. A estadia pode incluir um retiro.

Ao longo dos anos, alguns padres diocesanos pediram para associar-se  a Madonna House, querendo abraçar e viver sua espiritualidade, porém nas suas próprias dioceses.  Assim começou o segmento do clero associado, composto de diáconos, padres e bispos de vários países.

Também na sede em Combermere oferecemos um programa de sete meses de formação espiritual e discernimento para rapazes que sentem uma chamada ao sacerdócio. Eles vivem, trabalham e estudam junto com a comunidade de Madonna House num programa parecido ao que é oferecido para hóspedes leigos, embora haja mais algumas aulas cada semana. A direção espiritual faz parte essencial do processo de discernimento.


Writings

Escritos de Catarina de Hueck Doherty em Português

Nós gostaríamos de manter contacto com vocês!
“Partilhas” traz notícias de Madonna House bem como estórias e fragmentos dos escritos da Catarina Doherty.
Clique aqui para participar do "Amigos de Madonna House" lista de e-mail.


Muito mais informação sobre o Apostolado Madonna House pode ser encontrada em nossa página WEB Inglêsa.

Para entrar em contato conosco

Madonna House Apostolate
2888 Dafoe Rd
RR 2
Combermere ON   K0J 1L0
Canada

Telephone: 613-756-3713 — Fax: 613-756-0211